skip to Main Content
11 3284-6672 contato@drricardoteixeira.com.br

Escoliose

O que é escoliose?

O termo se refere ao desvio lateral da coluna ao contrário de seu alinhamento habitual vertical. A maioria dos casos se desenvolve sem a presença de um fator causador direto, sendo chamada de escoliose idiopática.

Entretanto, a escoliose também pode surgir em razão de malformações, síndromes genéticas, tumores, paralisia cerebral e após traumas. Assim sendo, é imprescindível que os pacientes com escoliose sejam avaliados por um especialista de coluna para o correto diagnóstico e tratamento.

Quais são os sinais e sintomas?

Escoliose
Escoliose

A escoliose pode se apresentar de formas distintas a depender do local de acometimento e da gravidade da curvatura. Desse modo, existem casos praticamente imperceptíveis ao exame clínico e outros com desvios significativos, por vezes, limitantes.

De modo geral, as principais alterações encontradas são:

  • Desvio visível da coluna
  • Ombros desnivelados
  • Desequilíbrio da pelve (bacia)
  • Costelas proeminentes unilateralmente

Os casos de escoliose associados a dor, dificuldade respiratória e alterações gastrointestinais merecem atenção especial.

Qual a evolução esperada da escoliose?

A maioria dos pacientes são diagnosticados durante a infância/adolescência e classificados em formas leves ou moderadas. Primordialmente, a maior chance de progressão da doença ocorre nos picos de crescimento, se torando estável quando o paciente atinge a idade adulta.

No entanto, uma pequena porcentagem dos casos pode evoluir para curvas mais graves com repercussões clínicas e estéticas importantes. Desse modo, é necessário que os pacientes com escoliose sejam avaliados periodicamente por um especialista de coluna, a fim de que sejam identificados precocemente os casos que necessitarem de tratamento especializado.

Quais os tratamentos disponíveis?

Os casos leves devem ser acompanhados periodicamente (radiografias seriadas) e não necessitam de tratamento específico. Os pacientes devem realizar atividades que proporcionem melhor controle postural e fortalecimento da musculatura do tronco.

Os pacientes que apresentam curvas progressivas, e sobretudo aqueles de menor idade, podem se beneficiar com o uso de coletes e correções gessadas. As cirurgias provisórias ou definitivas, chamadas artrodeses, devem ser reservadas para casos de maior gravidade.

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em coluna.

Fonte:
Mayo Clinic (https://www.mayoclinic.org)
Sociedade Brasileira de Coluna (http://portalsbc.org)
SRS – Sociedade de Estudo da Escoliose (https://www.srs.org)

Este artigo tem 6 comentários

  1. Olá, me Chamo Márcia, tenho 41 anos, 53 graus de escoliose, não consigo mais finalizar nenhuma atividade do dia a dia, pois sinto muitas dores, e ultimamente tenho sentido dores que irradiam para a perna. Fui diagnosticada aos 15 anos com escoliose, fiz fisioterapia na época, mas ao fim me deram alta e não me deram orientação nenhuma, hoje estou assim! Não sei o que fazer!!!

    1. Dona Maria, é importante avaliar o grau atual da escoliose da senhora e se está tendo pinçamento de algum nervo.
      Estes exames específicos e uma avaliação são fundamentais para se chegar ao melhor tratamento para a senhora.

  2. Meu filho tem 22 anos e há 4 foi diagnosticado com escoliose. A curva aumenta a cada dia. Ele já sente dores e cansados. Há um ano está esperando por uma avaliação da coluna com uma junta médica para uma possível cirurgia, mas até agora nada. Gostaria de saber se existe algum tipo de colete que o ajude enquanto ele espera pela avaliação?
    Me responda, por favor! Estou muito aflita.

    1. Olá, Jucilene, o tratamento com colete é uma possibilidade sim, porém sua indicação é específica.
      Nem todos os pacientes se beneficiam com o uso de colete e existem diferentes coletes para cada tipo de escoliose.
      Espero que consiga o atendimento médico o mais rápido possível.
      Att

      1. A minha filha tem 9 anos e eu estou observando que a postura dela tá diferente, tenho pesquisado e pode ser a escoliose,o que devo fazer pra que a minha filha consiga um diagnóstico o quanto antes?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Pesquisar
plugins premium WordPress