skip to Main Content
11 3284-6672 contato@drricardoteixeira.com.br

Dor Lombar ou Lombalgia: Quando eu devo me preocupar?

A dor lombar, também conhecida como lombalgia, é uma condição comum que afeta a região inferior das costas. Apesar de ser uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo, muitas vezes é negligenciada, principalmente, devido à sua alta frequência e à crença de que a dor irá melhorar por si só. Saiba mais sobre os sintomas, causas e tratamentos para a lombalgia.

O que é a dor lombar ou lombalgia?

A lombalgia é o termo técnico para dor lombar. Desse modo, a lombalgia se refere aos quadros dolorosos da região abaixo da última costela e acima da bacia. Além disso, é uma das principais causas de atendimentos médicos e também umas principais causas de incapacitação laboral e para atividades do dia a dia.

É importante ressaltar que várias condições clínicas podem gerar a lombalgia. Ou seja, é um sintoma que pode ser causado por diferentes problemas. Portanto, lesões musculares ou ligamentares da coluna, artrose das articulações da coluna, hérnias de disco, infecções ou mesmo tumores podem gerar a lombalgia. (Figura 1)

Dor Lombar ou Lombalgia | Dr. Ricardo Teixeira

O que causa dor nas costas?

Muitas vezes a dor lombar é chamada de forma mais ampla e genérica de dor nas costas, portanto, o médico deve estar atento aos vários diagnósticos possíveis para a dor nas costas além das próprias patologias da coluna. São exemplos:

  • Pedra nos rins (nefrolitíase)
  • Crise de diverticulite
  • Dor sacroilíaca (dor na articulação entre o sacro e a bacia)
  • Doenças da próstata
  • Patologias intestinais
  • Endometriose
  • Doenças da vesícula e pâncreas
  • Fibromialgia

Em relação às patologias da coluna que geram dor lombar, podemos mencionar:

Como é feito do diagnóstico específico da dor nas costas?

O fator mais importante para se chegar ao correto diagnóstico é a avaliação médica criteriosa e adequada (histórica clínica e exame físico detalhados). Desse modo, a partir dessas informações, o médico poderá pedir exames para confirmação da causa específica da dor nas costas.

O principal exame é a ressonância magnética da coluna lombar, contudo, o raio-x e a tomografia são exames auxiliares importantes em casos de suspeita de fraturas e deformidades da coluna vertebral.

Dor lombar – Avaliação Médica | Dr. Ricardo Teixeira
Dor lombar – Avaliação Médica

Como é o tratamento da dor lombar?

O tratamento inicial da dor lombar aguda se baseia no repouso, anti-inflamatórios, relaxantes musculares e analgésicos. Em princípio, caso o paciente tenha sofrido uma lesão recente, podemos indicar gelo e nos casos mais crônicos, preferimos bolsas de água quente.

Estas medidas serão suficientes em cerca de 80% dos casos de dores lombares agudas. Entretanto, caso a dor se mantenha, piore ou seja acompanhada de outros sintomas é importante que o paciente seja avaliado por um especialista em coluna.

Os pacientes com dor lombar crônica inicialmente devem ser orientados a mudarem o estilo de vida, iniciarem atividades físicas e alongamentos, combaterem o sobrepeso, combaterem o tabagismo, melhorarem a postura em casa e no trabalho (ergonomia). Todavia, a fisioterapia também é uma das principais linhas de tratamento para pacientes com dor lombar.

O uso de medicações crônicas e coletes devem ser realizados sob orientação médica. Acupuntura, osteopatia, quiropraxia e massoterapia também são terapias auxiliares válidas para dor lombar.

Em casos de dor persistente e limitante, as infiltrações e os procedimentos cirúrgicos da coluna são outras opções de tratamento válidas.

Tratamento para Lombalgia | Dr. Ricardo Teixeira

Quando devo me preocupar com a dor lombar?

Apesar da maioria dos casos de dores lombares melhorarem com um tratamento básico, existem determinadas condições em que é importante uma avaliação médica e realização de exames. São elas:

  • Dor de forte intensidade que não melhora com medicações
  • Dor lombar por mais de 3 meses sem melhora
  • Lombalgia acompanhada de febre
  • Lombalgia acompanhada de perda de peso
  • Dor com irradiação para perna (ciática)
  • Alterações de sensibilidade ou motricidade nos membros inferiores
  • Dor lombar persistente após queda ou trauma

Como prevenir a lombalgia?

Em primeiro lugar, a melhor forma de se evitar a dor lombar é manter a coluna bem equilibrada.  Desse modo, as principais diretrizes para se ter uma coluna saudável são:

  • Fortalecimento do CORE (musculatura que estabiliza o tronco)
  • Alongamentos, principalmente dos isquiotibiais (musculatura posterior da coxa)
  • Exercícios posturais
  • Evitar pegar peso excessivo
  • Combater o sobrepeso
  • Cuidados posturais (ergonomia)
  • Atividade física regular
  • Colchões firmes (em casos extremos, colchão ortopédico)
  • Evitar se manter longos períodos sentado

É importante mencionar que estes hábitos devem se tornar diários e de longo prazo, por certo, estão indicados a todos os indivíduos.

Cifose Torácica | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 3 – Correção cirúrgica da hipercifose

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em coluna.

Fonte:
Mayo Clinic (https://www.mayoclinic.org)
Sociedade Brasileira de Coluna (http://portalsbc.org)
AO SPINE (https://aospine.aofoundation.org)

FAQ

1. O que pode causar dor na região lombar?

Causas comuns de dor na região lombar incluem lesões musculares ou de ligamentos, hérnia de disco, artrite, estenose espinhal, osteoporose, problemas renais ou urinários, endometriose, gravidez e até mesmo estresse emocional. É importante consultar um médico para determinar a sua causa exata, bem como, receber o tratamento adequado.

2. Como saber se é dor na lombar ou coluna?

Dor na lombar é uma dor que ocorre na região inferior das costas, enquanto a dor na coluna pode ocorrer em qualquer parte da coluna vertebral. Se a dor estiver localizada apenas na região inferior das costas, é mais provável que seja dor na lombar.

3. Quais os sintomas de dor na lombar?

Os sintomas mais comuns incluem dor aguda ou latejante na região inferior das costas, rigidez muscular, dificuldade em se movimentar ou ficar em pé por longos períodos de tempo, e dor que se irradia para as pernas.

Este artigo tem 1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Pesquisar
plugins premium WordPress