skip to Main Content
11 3284-6672 contato@drricardoteixeira.com.br

Lipomatose epidural

A lipomatose epidural é uma condição pouco comum na qual há um depósito anômalo de tecido adiposo (gordura) no canal vertebral. Desta forma, este processo pode levar à compressão das estruturas neurológicas (medula espinhal e nervos). O diagnóstico e acompanhamento especializado são importantes nestes casos. Saiba mais.

Lipomatose epidural | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 1: Deposição de Gordura no canal vertebral.

O que é a lipomatose epidural?

A lipomatose epidural é uma condição na qual o espaço entre as estruturas neurológicas e a vértebra, chamado de espaço epidural, é ocupado por tecido adiposo (gordura). O acúmulo de tecido adiposo nesta localização pode comprimir a medula e os nervos no canal vertebral gerando dor e sintomas neurológicos.

Acomete em sua maioria pacientes do sexo masculino. Além disso, a principal região de seu surgimento é a região torácica, seguida pela lombar ou ambas de forma associada.

Lipomatose epidural | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 2: Lipomatose Epidural

Quais são os sintomas da lipomatose epidural?

A apresentação clínica é variada pois depende de diversos fatores como: quantidade de tecido adiposo depositado, velocidade de deposição, localização do depósito e área interna do canal vertebral. Dessa maneira, não é incomum encontrarmos pacientes assintomáticos. Dentre os principais sintomas, podemos mencionar:

  • Dorsalgia (dor na coluna torácica)
  • Dor lombar
  • Dor ciática
  • Alteração de sensibilidade e força nas pernas
  • Perda de equilíbrio e destreza nas pernas
  • Alteração de reflexos
  • Dificuldade para deambular
  • Alterações esfincterianas

*Atenção especial deve ser dada a pacientes com lipomatose epidural e osteoporose, pois mesmo fraturas simples por fragilidade nestes pacientes podem levar a graves danos neurológicos já que há uma limitação preexistente do canal vertebral por tecido adiposo.

Quais as causas da lipomatose epidural?

As principais causas são:

  • Uso prolongado de corticoide
  • Obesidade
  • Uso de anabolizantes
  • Status pós cirúrgico
  • Distúrbios endocrinológicos
  • Idiopática (sem um fator causal específico)
  • HIV e sua terapia anti-retroviral
  • Associação com doença de Scheuermann

Como fazer o seu diagnóstico?

O diagnóstico é realizado sob duas circunstâncias principais. A mais comum é quando o paciente com os sintomas acima descritos procura um especialista em coluna e após suspeita clínica são solicitados exames que determinam o diagnóstico.

A outra forma de diagnóstico é a incidental, isto é, o paciente não apresenta sintomas relacionados com a coluna e realiza exames por outros motivos que evidenciam a lipomatose epidural.

O melhor exame para o diagnóstico e avaliação da lipomatose epidural é a ressonância magnética da coluna vertebral.

Ressonância Magnética | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 3: Ressonância Magnética – (Arquivo pessoal – Dr Ricardo Teixeira)

Qual o tratamento da lipomatose epidural?

O tratamento da lipomatose epidural depende de fatores como a intensidade dos sintomas, presença de lesão neurológica (mielopatia ou radiculopatia) além da velocidade e da causa da deposição adiposa.

Além disso, a região acometida também deve ser levada em consideração, a coluna torácica apresenta menor espaço livre e a lipomatose tende a apresentar-se de forma mais grave.

O tratamento clínico deve ser direcionado para alteração de base causadora da lipomatose, como por exemplo, perda de peso e limitação do uso de corticoide. Portanto, percebemos que o tratamento dever ser individualizado e iniciado o quanto antes para se evitar a progressão da patologia.

A abordagem clínica é a primeira linha de tratamento na lipomatose epidural. Já o tratamento cirúrgico é escolhido em casos de déficits neurológicos, dor persistente ou falha do tratamento clínico.

Quais os procedimentos indicados?

O tratamento cirúrgico nos casos de lipomatose epidural é preconizado como última alternativa. A principal técnica escolhida é a laminectomia que consiste na retirada do segmento ósseo posterior da vértebra e do conteúdo adiposo. A laminectomia é um procedimento puramente descompressivo, sem a necessidade de se utilizar parafusos ou pinos.

Atualmente, podemos realizar tais procedimentos através da endoscopia de coluna, técnica minimamente invasiva com incisão de 1 cm de diâmetro e reabilitação precoce.

A cirurgia de artrodese (fusão) raramente é utilizada, apenas nos casos de instabilidade potencial da coluna vertebral.

Laminectomia | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 4: Laminectomia

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em coluna.

Fonte:
Sociedade Brasileira de Coluna (http://portalsbc.org)
AO SPINE (aospine.aofoundation.org)
Sociedade norte americana de cirurgia de coluna (https://www.spine.org/)
Lipomatose Epidural: Revisão da patogênese, apresentação clínica e tratamento (https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31448201/)
Lipomatose Epidural: Uma revisão abrangente (https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/34745483/)

FAQ

1. Como tratar a lipomatose epidural?

O tratamento inicial é direcionado a causa da lipomatose, como perda de peso ou limitação do uso de corticoides. Caso haja falha do tratamento clínico, indica-se a cirurgia descompressiva e retirada do conteúdo adiposo da coluna. A cirurgia pode ser realizada de forma aberta (clássica) e em alguns casos, por técnica minimamente invasiva, endoscópica.

2. O que é lipomatose epidural lombar?

Consiste na deposição de gordura no interior da coluna vertebral, em uma região chamada de espaço epidural. Esse quadro pode comprimir as estruturas neurológicas (nervos e medula) podendo gerar alterações neurológicas e dor.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top
×Close search
Pesquisar