skip to Main Content
11 3284-6672 contato@drricardoteixeira.com.br

Artrodese Cervical

A artrodese cervical é o procedimento cirúrgico de fixação entre duas ou mais vértebras da coluna cervical. Assim, obtém-se uma fusão (estabilização rígida) dos segmentos operados.

Ela é indicada principalmente para garantir a estabilidade da coluna cervical após cirurgias de hérnia de disco cervical e estenose cervical, tratamento de fraturas cervicais, correção de deformidades, espondilodiscite e após ressecção de tumores vertebrais.

Por quais motivos é necessária uma artrodese cervical?

A coluna cervical é composta por vértebras, discos intervertebrais, músculos e ligamentos. Assim sendo, tais estruturas permitem os movimentos cervicais de flexão, extensão e rotação da cabeça.

Dessa maneira, é possível que ao longo do tempo estas estruturas se desgastem, processo chamado de espondilose. Em linhas gerais, a degeneração discal pode resultar em hérnia de disco cervical, estenose cervical e artrose das articulações da coluna.

O principal tratamento nestes casos é o clínico: fisioterapia, RPG, acupuntura, controle postural e medicamentos. No entanto, com a falha do tratamento clínico podem ser necessárias cirurgias, dentre elas, a artrodese cervical. Ela também pode ser necessária após cirurgias de tumores cervicais, fraturas e por deformidades cervicais.

Espondilose Cervical | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 1: Espondilose Cervical – Imagem exemplificando os processos degenerativos da coluna cervical

Quais são os tipos de artrodese cervical disponíveis?

Atualmente, existem três formas diferentes de se realizar a artrodese cervical

  • Artrodese cervical via anterior
  • Artrodese cervical posterior
  • Artrodese cervical dupla via (anterior e posterior)
Artrodese Cervical | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 2: Diferentes estratégias cirúrgicas

A depender de cada caso, diagnóstico, condição anatômica cervical e estratégia cirúrgica pode ser optado por um dos tipos acima de artrodese cervical.

A cirurgia pode ser monitorizada para se evitar danos neurológicos, procedimento conhecido Monitorização Eletrofisiológica Intraoperatória.

Artrodese Cervical Anterior

É realizada uma pequena incisão na região anterior da coluna cervical por onde se acessa a coluna cervical e se realiza a cirurgia (Figura 3). São usados dispositivos intersomáticos (cages) para substituir os discos intervertebrais e em alguns casos, a própria vértebra.

São indicadas principalmente em casos de hérnia de disco cervical. Outras indicações menos comuns são tumores, deformidade em cifose da coluna cervical e fraturas cervicais.

A.C. Anterior | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 3

Artrodese Cervical Posterior

A incisão é realizada pela região posterior (nuca – Figura 4), por onde é possível descomprimir a medula e os nervos que saem da coluna cervical. Após isso, são utilizados parafusos e hastes para se conseguir a artrodese cervical.

São indicadas principalmente em casos de estenose cervical, ossificação da coluna cervical, fraturas e alterações em múltiplos níveis da coluna cervical.

Artrodese Cervical Posterior | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 4

Artrodese Cervical Dupla Via

Nesta modalidade é realizada uma combinação da artrodese cervical anterior e da artrodese cervical posterior, daí seu nome: artrodese cervical dupla via ou 360º (Figura 5). Dessa forma, é um procedimento de maior porte e felizmente indicada com menor frequência.

São realizadas principalmente em casos mais delicados como fraturas graves, cirurgias para correção de deformidades, ressecções ósseas e discais amplas e em casos de reoperação.

A.C. Dupla Via | Dr. Ricardo Teixeira
Figura 5

Quais são as suas vantagens e desvantagens?

Com a modernização da cirurgia de coluna, a artrodese cervical é uma técnica cada vez menos invasiva e mais segura. Em geral, utiliza-se o microscópio para aumentar o campo de visão e detalhes no momento da cirurgia. Também, utiliza-se um de raio-x intraoperatório (radioscopia) para nos certificarmos que os dispositivos estão no lugar adequado.

Apesar da individualidade de cada caso, em geral, o paciente deambula no dia seguinte e recebe alta em 1 ou 2 dias depois do procedimento. Retiram-se os pontos com 10-14 dias, quando se inicia a reabilitação. A consolidação óssea ocorre de 2 a 3 meses em média, quando então o paciente pode voltar às atividades físicas habituais.

Em linhas gerais, a cirurgia permite a descompressão das estruturas neurológicas da coluna cervical (medula espinhal e raízes nervosas), diminuindo dores cervicais e dores irradiadas aos membros. Ao mesmo tempo estabiliza a coluna. Também pode diminuir a dor por artrose da coluna, a artrose facetária.

Os índices de sucesso com a cirurgia são bastante satisfatórios sendo uma excelente técnica quando bem indicada e realizada. Em determinadas situações é a única técnica capaz de assegurar o correto alinhamento da coluna e o bem-estar do paciente.

Por outro lado, a artrodese limita a mobilidade cervical em um segmento da coluna, podendo sobrecarregar os níveis adjacentes. Felizmente, a degeneração do nível adjacente acontece em menos de 10% dos pacientes. Para alguns pacientes, uma alternativa é a técnica de artroplastia cervical que preserva a mobilidade cervical.

Quais os seus riscos e complicações?

Felizmente, com o aprimoramento dos instrumentais cirúrgicos e da técnica operatória, o índice de complicações com a cirurgia é baixo, em torno de 4%. Os principais são:

  • Risco anestésico
  • Infecção
  • Falha dos implantes (soltura ou quebra)
  • Danos neurológicos (perdas sensitivas ou motoras)
  • Não união (as vértebras não se fundem como esperado)
  • Falha de cicatrização

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em coluna.

Fonte:
Mayo Clinic (https://www.mayoclinic.org)
Sociedade Brasileira de Coluna (http://portalsbc.org)
AO SPINE (aospine.aofoundation.org)
UpToDate (https://www.uptodate.com)

FAQ

1. Quais os riscos de uma artrodese cervical?

Apesar de raros, podemos mencionar risco anestésico, neurológico, infecção, falha de cicatrização, soltura ou quebra do material, não união (o osso não funde) e problemas de cicatrização,

2. Quando é indicada uma cirurgia de artrodese?

A artrodese é indicada quando se suspeita que a patologia ou a própria cirurgia para se tratar o problema (uma ressecção óssea ampla, por exemplo), irão gerar instabilidade na coluna. A artrodese gera estabilização da coluna vertebral.

Back To Top
×Close search
Pesquisar